Novo/a no Ateísmo-PT? Começa por aqui.

Porque é que falar sobre ateísmo incomoda tanto?

Porque é que o activismo ateu – mesmo que limitado a escrever sobre o assunto no nosso próprio blog – incomoda tanto as pessoas… incluindo outros ateus?

Para qualquer outro tema – arte, música, videojogos, filmes, carros, motas, decoração, moda, economia, política, medicina, sociologia, desporto, ecologia, animais de estimação, literatura, ciência, filosofia, e, sim, religião, quem não se interessa passa ao lado. Uma pessoa pode concordar ou discordar, e pode fazê-lo de forma mais ou menos simpática, mas ninguém criticará o autor de um blog de futebol por só falar de futebol, e o mesmo acontece para qualquer outro tema. Qualquer ser humano interessa-se por um número relativamente limitado de temas, e isso é normal; nenhum ser racional e estável vai, por exemplo, a um blog de futebol dizer que o autor é estúpido, irritante, idiota, imoral, etc. por escrever tanto sobre futebol. É o tema do raio do blog, porra.

O mesmo para, por exemplo, política. Uma pessoa pode ter uma posição política ou outra, pode concordar ou discordar de determinado jornalista político, mas em ocasião alguma esse jornalista vai ser criticado simplesmente por escrever sobre política. Quem não se interessa por política simplesmente não irá ler o que ele escreve.

Eu não tenho um Mac nem um iPhone, e há quem escreva bem mais sobre eles do que eu sobre ateísmo ou religião, mas nunca me passou pela cabeça chatear certos membros do PlanetGeek por falarem tanto nisso. Em geral, limito-me a ler os posts em questão na diagonal (curiosidade nata…), ou a saltá-los se estiver cansado ou apressado.

Blogs de religião – seja ela qual for – em geral poderão ter comentários (quando estes não são apagados, o que acontece muito) a discordar do autor em pontos como a personalidade, os desejos ou mesmo a existência das divindades em que o autor acredita, mas nunca serão vistos comentários a dizer que o autor é um fanático não pelas suas posições, não pelos seus actos, mas apenas por escrever sobre religião, sobre as suas crenças.

Resumindo, em geral somos bastante aptos a – e não temos qualquer problema em – ignorar, “passar ao lado”, aquilo que não nos interessa. Não nos incomoda nada que exista “A Bola”, o “Jornal de Letras”, o jornal deste ou daquele partido, ou a Bíblia cristã.

Mas quem escreve sobre ateísmo é logo visto como um “fanático”, “pior do que os do 11 de Setembro”. Mesmo outros ateus têm nestas alturas todo o prazer e orgulho em proclamar o clássico “eu sou ateu, mas…”.

Porque é que este tema incomoda tanto? E não, não venham dizer que “é por falares tanto nisso”. Acabei de demonstrar que para qualquer outro tema – incluindo religião, no sentido crente — toda a gente é capaz de “passar ao lado” quando o assunto não lhe interessa minimamente. Há de haver outra razão.

E, já agora, aconselho a leitura de um post da Greta Christina, que já mencionei antes, também sobre esta questão.

Um Comentário a “Porque é que falar sobre ateísmo incomoda tanto?”

  1. Podia ter resumido este post assim:

    Para qualquer tema sobre o qual se fale – desporto, política, religião, etc. –, as pessoas podem concordar, discordar ou ignorar. Somente no caso do ateísmo, noto, é que somos criticados simplesmente por argumentarmos a nossa posição, por expormos o nosso caso. Não nos dizem “estás errado”, mas sim, “não podes falar disso” (porque se o fizeres és isto, és aquilo, etc.).

    Porquê?

Comentar


Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 2.5 Portugal
This work by Dehumanizer is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 2.5 Portugal.