Novo/a no Ateísmo-PT? Começa por aqui.

Entradas com Etiqueta ‘Igreja Católica’

Vaticano: “mulheres padres são um crime tão grande como a violação de crianças”

Sexta-feira, 16 de Julho, 2010

Sim, foi exactamente isso que eles acabaram de dizer. As duas coisas estão, para eles, ao mesmo nível.

É preciso dizer mais?

(via Pharyngula)

“Prender” o Papa?

Terça-feira, 13 de Abril, 2010

Tem corrido por aí a notícia com variantes deste título sensacionalista: “Richard Dawkins: ‘vou prender o Papa“. Naturalmente, Dawkins não disse tal coisa (que dá a ideia de que o biólogo britânico vai estar no aeroporto à espera de Bento XVI com um par de algemas…); o que ele fez, juntamente com Christopher Hitchens, foi apoiar um movimento já existente (que estava a ser ignorado pelos “media”, vergonhosamente, até ser apoiado por duas celebridades) para lançar um processo legal contra o Papa, pelo seu papel já bem documentado no encobrir de casos de violação e tortura de crianças, e protecção dos autores desses casos (já que para ele a única coisa que importa é a reputação da Igreja).

Mesmo que o processo avance (e espero que tal aconteça), há alguma hipótese de o Papa ser preso? Claro que não. Nem acho que haja alguma possibilidade de ele vir a ser julgado, ou até mesmo questionado sobre esta questão por um tribunal laico, mesmo que não esteja ele próprio a ser acusado de alguma coisa.

O melhor que se pode esperar disto — e espero que chegue a tal — é o seguinte: o Papa sai impune, mas tal não acontece por não haver um caso legal contra ele. Acontece, sim, por ele estar efectivamente acima da lei, neste caso da lei britânica. E isto não deverá passar despercebido. O sistema judicial britânico deve ser forçado a admitir publicamente que qualquer outro no lugar do Papa, nestas condições, seria pelo menos julgado, e que o facto de tal não acontecer a Ratzinger não tem qualquer fundamento legal, vai totalmente contra tanto a letra como o espírito da lei e contra toda e qualquer justiça, e deverá ser uma absoluta vergonha para a Lei britânica.

E talvez assim mais alguns olhos se abram.

Bispo Católico: “eles QUEREM ser abusados!”

Quarta-feira, 7 de Abril, 2010

His comments were that there are youngsters who want to be abused, and he compared that abuse to homosexuality, describing them both as prejudicial to society. He said that on occasions the abuse happened because the there are children who consent to it.

‘There are 13 year old adolescents who are under age and who are perfectly in agreement with, and what’s more wanting it, and if you are careless they will even provoke you’, he said.

Acho que está tudo dito.

E recomendo também este excelente artigo de Paula Kirby no Washington Post. Vale a pena lê-lo todo, mas deixo-vos com esta parte:

How would I advise the Pope? Many people have been calling for his resignation, but I am not one of them. Resignation does not go nearly far enough, and the same goes for every single other person involved in this terrible business. Since when has justice been considered to have been done just because a criminal resigns from his job? No: my advice to the Pope would be to hand over every last priest who has been accused of child rape and every last church official — himself included — accused of covering up child rape to be tried in a proper criminal court, just like anyone else would be if they were accused of the same offenses; and to further ensure that the Church makes available, without obstruction, every single document required as evidence in these cases. Only properly conducted criminal trials, in proper courts of law, will bring an end to this scandal and – far more importantly – bring some peace and justice to the Church’s many victims.

He won’t do it, of course, because he clings to the disgraceful but mightily convenient doctrine that the Roman Catholic Church is above earthly law, answerable only to God.

Jesus and Mo e o papa

Quinta-feira, 1 de Abril, 2010
Jesus and Mo e o papa

Brilhante, como sempre. Eu já o disse aqui, mas o autor do comic fá-lo com menos palavras e com mais piada.

Pedofilia e as desculpas repugnantes da Igreja Católica

Segunda-feira, 29 de Março, 2010

Evil Pope Com toda a polémica relativamente ao abuso de crianças por todo o mundo pela parte da Igreja Católica e o seu encobrimento pela hierarquia da igreja, naturalmente — afinal, trata-se de uma organização ainda poderosíssima e com influência em todo o mundo — tem havido quem a tente defender. Várias defesas têm sido do tipo “o Papa não sabia!”, o que parece muito improvável, mas a defesa mais incrível, mais supreendente, mais chocante é esta: “os outros também o fazem”!

“Os outros também o fazem”. Como se isso desculpasse minimamente a violação de crianças; afinal “não somos só nós”.

Mas aquilo que torna a Igreja Católica totalmente corrupta e imoral, e a hierarquia da mesma culpada de crimes hediondos pelos quais devia pagar com prisão ou pior, não é, acreditem ou não, o “mero” facto de um bom número deles violar e torturar crianças há décadas. E, sim, isto acontece em maior proporção do que na sociedade em geral — não que eles fossem minimamente desculpáveis se a proporção fosse idêntica.

Nem é “só” o facto de eles afirmarem ser a única fonte de moralidade na Terra, os representantes do criador do universo. De eles afirmarem repetidamente que são moralmente superiores aos crentes de outras religiões, já para não falar dos não-crentes.

Nem é “só” o facto de que o abuso de crianças pela parte de padres é ainda mais condenável por ser feito por quem numa posição de autoridade e confiança para com essas crianças — sendo um abuso dessa autoridade e uma traição completa dessa confiança.

Não, a parte verdadeiramente criminosa, e que condena toda a hierarquia da Igreja, incluindo o actual papa, mesmo os membros da hierarquia que nunca tenham tocado numa criança, é esta: eles tentam encobrir isto há décadas. A hierarquia Católica tem tido conhecimento de inúmeros casos de abuso de crianças pela parte de padres ao redor do mundo, e a única preocupação da mesma tem sido auto-proteger-se. Proteger a sua reputação. Não a protecção das crianças. Não a obtenção de justiça.

Nos inúmeros casos ao longo de décadas, tendo de escolher entre a protecção de crianças inocentes e a protecção da reputação da Igreja, esta escolheu sempre a segunda hipótese. Sempre que há queixas contra um padre, as queixas não chegam à polícia, nem o padre é expulso da Igreja; é simplesmente transferido para outra paróquia, onde lhe serão inocentemente confiadas novas crianças para violar. Repetir conforme necessário.

Isto é monstruoso e imperdoável. Torna toda a hierarquia Católica cúmplice das inúmeras violações de crianças. E torna a Igreja uma das organizações mais moralmente podres em todo o mundo.

Debate: a Igreja Católica é uma força para o bem no mundo?

Segunda-feira, 9 de Novembro, 2009
YouTube Preview Image

Do lado “sim” temos o arcebispo John Onaiyekan da Nigéria, e Ann Widdecombe, política conservadora britânica. Do lado “não” estão Stephen Fry (sim, esse) e Christopher Hitchens.

O debate, como o nome diz, é mesmo sobre a Igreja Católica e o que ela fez e faz no mundo, de bom e de mau; não inclui temas como a existência ou não-existência de (um) Deus.

A audiência é “polled” sobre a questão antes e depois do debate, dando resultados interessantes… 🙂

Nota: se estás a ler isto num agregador e não vês qualquer vídeo, basta ir aqui.

Irlanda, Igreja Católica… “ah, pois, mas o ateísmo é que é o verdadeiro problema”

Segunda-feira, 25 de Maio, 2009

Acho que aqui não há muito a acrescentar a este post do Daylight Atheism, Catholicism’s Hollow Claims of Moral Authority.

O início do post:

The outgoing Archbishop of Westminster, Cormac Murphy-O’Connor, had some choice words for atheists at the ceremony this week to install his successor:

“What is most crucial is the prayer that we express every day in the Our Father, when we say ‘deliver us from evil’. The evil we ask to be delivered from is not essentially the evil of sin, though that is clear, but in the mind of Jesus it is more importantly a loss of faith. For Jesus, the inability to believe in God and to live by faith is the greatest of evils.

…You see the things that result from this are an affront to human dignity, destruction of trust between peoples, the rule of egoism and the loss of peace. One can never have true justice, true peace, if God becomes meaningless to people.”

Like others who came before him, this cardinal views atheism as “the greatest of evils”, literally the worst act a human being can possibly commit. Too bad for the cardinal that, at the time he gave this speech, an enormous counterexample was staring him in the face:

Tens of thousands of Irish children were sexually, physically and emotionally abused by nuns, priests and others over 60 years in a network of church-run residential schools meant to care for the poor, the vulnerable and the unwanted, according to a report released in Dublin on Wednesday.

Tens of thousands of children, suffering horrific abuse, degradation, and brutal assault both physical and sexual, over a period of decades. The sheer scope of the problem makes it impossible to explain away as the result of a few bad apples; cruelty this widespread and this institutionalized could only come about as the result of evil and corruption deeply entrenched in the hierarchy of church power.

Não acho que dê para acrescentar muito mais a isso.

E antes que me digam que isto não é representativo da Igreja Católica, eu lembro-vos do que a mesma fez enquanto tinha poder para tal: inquisição, tortura de “hereges”, queima de “bruxas”, censura de todos os livros por default (isto é, havia uma lista de livros permitidos, e não de livros censurados), cruzadas, e afins. E isso não parou por a Igreja ter pensado “espera aí, isto não está certo, é uma crueldade monstruosa, vamos parar e realmente tentar fazer algum bem ao mundo”. Não, parou quando deixaram de ter poder para isso. E acho que nunca devemos deixar de mencionar esse facto. Tal como os judeus dizem em relação ao Holocausto, “nunca mais.”

Abuso de crianças? “Trivialidades.” Tudo é justificável para um culto de morte que acredita que a vida terrena não tem qualquer importância, e que a única coisa que importa é salvar almas.


Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 2.5 Portugal
This work by Dehumanizer is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial-NoDerivs 2.5 Portugal.